Diferença das Vacinas: Pública X Particular

É comum surgirem as dúvidas das diferenças entre as vacinas oferecidas no SUS das vacinas da rede privada.

Quero que entendam que eu não estou me posicionando em relação a nenhuma das duas opções, apenas esclarecendo.

Um fato a ser esclarecido é que o Programa Nacional De Imunizações do Brasil é um dos mais completos e funciona muito bem. As leis são rígidas e a vigilância sanitária realiza um trabalho digno de elogios na rede pública.

 

Baseado no cartão de vacinas:

1. Ao nascimento –  BCG e Hepatite B são iguais no SUS e em clínicas particulares, devem ser feitas ainda no hospital.

 

2. Aos 2, 4 e 6 meses de idade – a rede pública de saúde oferece as mesmas vacinas, porém algumas são administradas separadamente e são vacinas de outros laboratórios.

O que ocorre aqui é que a vacina pentavalente, oferecida no posto, é celular e portanto oferece maiores riscos de febre alta e convulsão. A poliomielite é feita separadamente, portanto serão mais picadas. Na privada a vacina oferecida é a hexavalente, vacina acelular, que além de diminuir o número de picadas, tem menos riscos de febre e isenta da dor locar e reações adversas.

Nesta idade também é tomada a vacina contra o Rotavírus. A vacina fornecida pelo Ministério da Saúde vale apenas para um dos vírus causadores da doença de mesmo nome. Já a vacina privada serve para cinco diferentes tipos do agente infeccioso. As duas são feitas por via oral.

A vacina contra o pneumococo fornecida pelo posto de saúde é 10 valente, imuniza a criança contra 10 tipos do pneumococo, e é feita aos 2 e 4 meses e a da rede privada é 13 valente, protegendo contra 3 subtipos a mais do pneumococo.  Na rede privada, esta vacina pode ser feita com 2, 4 e 6 meses de idade, como orientado pela sociedade brasileira de pediatria.

 

3. Aos 3 e 5 meses de idade – a vacina da meningite é exatamente igual na rede pública e na rede privada.

 

4. Aos 7 meses – a vacina contra o influenzae (gripe) é exatamente a mesma na rede pública e privada, porém a da rede pública costuma estar disponível muito tarde, quando o contato com o vírus já se fez presente.

 

5. Aos 12 meses – a vacina contra a varicela, no SUS,é fornecida apenas 1 dose aos 15 meses. Na rede particular, administramos varicela aos 12 meses, e é necessário duas doses da vacina pra imunizar contra as formas branda e grave da doença.

A vacina contra o sarampo, caxumba e rubéola são exatamente iguais.

A vacina contra a hepatite A é oferecida apenas 1 dose no SUS, aos 15 meses. E é recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria, que sejam feitas 2 doses com intervalo de 6 meses entre elas.

 

6. Aos 15 meses  -   no SUS, é feito reforço com DTP (apenas para difteria, tétano e coqueluche). Na privada é a pentavalente (DTP + Haemophilus Influenza B + Polio inativada), tudo na mesma aplicação, e sem efeito colateral de dor e febre.

Toda criança deve participar das campanhas da poliomielite oral.

 

 

Enfermeira Viviani Beiersdorf – Vacinação domiciliar

Contato: 91529318

Mais blog